Catarina Morais

Why are Sundays so depressing?

 

Why are Sundays so depressing? – The New Abnormal (2020)

 

«I love you in the morning, so you know it’s no lie
You’re hidin’ in the background but you wanna be found»

 

Sete anos mais tarde, os The Strokes deram ao Universo mais uma prenda. O novo álbum, The New Abnormal, foi lançado o mês passado e parece que eles continuaram exatamente por onde tinham deixado. Soa aos The Strokes que eu conheço, e não e estou a queixar. Além disso, estou apaixonada pela capa deste álbum.

A primeira vez que ouvi o álbum, as minhas músicas favoritas foram Brooklyn Bridge to ChorusBad Decisions. A segunda vez que ouvi, adicionei Adults are Talking and Why e Sundays so Depressing?. Agora, pela 1000ª vez que o ouço, nem consigo escolher uma! Por isso vou apresentar-vs a música que mais parece adequada a um dia como o de hoje. Porque o Julian Casablancas continua a ler as nossas mentes.

Esta música fala da vida do Julian antes da fama. Reflete aspetos da sua vida passada, com um toque muito nostálgico em tópicos como o amor, trabalho ou pensamentos gerais sobre a vida.

 

Seven years later, The Strokes gave the Universe another gift. Their new album, The New Abnomal, was released last month and it feels like they picked up exactly where they left. It sounds like The Strokes I know, and I’m not complaining. Also, I’m in love with this album cover.

The first time I heard the album, my favorite songs were Brooklyn Bridge to Chorus and Bad Decisions. Second time listening to it, I’ve added Adults are Talking and Why are Sundays so Depressing?. Now, the 1000th time I’ve listen to it, I cannot even choose one! So I’ll just present you with a song that seems accurate on a day like today. Because Julian Casablancas keeps reading our minds.

This song talks about Julian’s life before fame. It reflects past aspects of his life, with a very nostalgic touch on topics like love, work and general thoughts about life.

 

Follow Catarina Morais on InstagramFacebookBloglovin’ and YouTube!

Here is to my mom!

Here is to my mom

Esta é para a minha mãe.

Esta é para a minha mãe por separar as ervilhas na sopa porque sabe que não gosto. Por nunca me forçar a escolher uma carreira que eu não gostava. Por apoiar as minhas decisões mais malucas e às vezes fazê-las comigo.

Esta é para a minha mãe por aparecer no meu quarto enquanto estou a trabalhar para dizer que fez um bolo para mim. Por correr a cidade toda para encontrar o barco da Polly que eu queria (não encontrou, mas 15 anos depois, nunca me esqueci da intenção). Por ser a mãe mais galinha de todas.

Esta é para a minha mãe por me encorajar a faltar às aulas na Universidade porque achava que eu precisava de descansar. Por me ensinar a fazer Bacalhau à Braz via skype quando eu vivia a 1900km de distância. Por se zangar comigo num minuto e no minuto a seguir voltar ao normal.

Esta é para a minha mãe por me aturar a cantar alto e a bom som e rir-se em vez de me matar. Por aparecer sempre no meu quarto para ver se estou bem quando chego a casa a meio da noite. Por nos dar as melhores festas de aniversário quando éramos crianças (e por fazer sempre comida em exagero com medo que falte).

Esta é para a minha mãe por criar três crianças de igual forma mas que resultaram em três pessoas completamente diferentes. Por apoiar todos os meus hobbies e ficar orgulhosa de mim mesmo quando eu claramente não presto naquilo. Por ser uma chorona maior que eu (update: chorou a ler isto).

Esta é para a minha mãe por partilhar vídeos de cães no meu perfil do facebook e pensar que só eu vejo. Por nos ensinar os dias da semana em italiano com um calendário que comprámos em Roma (também há quase 15 anos e nunca nos esquecemos!). Por me (tentar) ensinar francês nos últimos 100 anos.

Esta é para a minha mãe por se juntar a mim na mesa da cozinha quando era criança e pintar comigo. Por me mimar sempre demasiado (ao ver fotos antigas, reparo que nos estamos a abraçar em 90% delas). Por ser a pessoa mais generosa e carinhosa que conheço.

Esta é para a minha mãe por nos dar sempre o melhor espírito de Natal. Por tornar a nossa casa num lar. E por nos dar sempre tudo o que precisávamos.

Aproveita o brunch que preparámos para ti. E feliz dia da mãe! Nós amamos-te <3.

 

Here is to my mom.

Here is to my mom for separating the peas in the soup because she knows I don’t like them. For never forcing me to choose a career I didn’t want. For supporting my most crazy decisions and sometimes doing them with me.

Here is to my mom for showing up in my room while I’m working to say she baked a cake for me. For running the whole city to find the Polly Boat I wanted (she didn’t find it, but 15 years later, I haven’t forgotten the intention). For being the most protective mother in the world. 

Here is to my mom for encouraging me to skip classes in University because she thought I needed to rest. For teaching me how to make Bacalhau à Braz via Skype when I was living 1900 km away.  For getting mad at me on a minute and the minute after being back to normal.

Here is to my mom for putting up with me singing my heart out and laughing instead of killing me. For always showing up in my room to see if I’m okay when I arrive home in the middle of the night. For throwing the best birthday parties to us when we were kids (and always cooking abnormal portions of food because she is afraid it won’t be enough).

Here is to my mom for raising three kids the same way but resulting in three completely different persons. For supporting all my hobbies and getting proud of me even when I clearly suck at it. For being a bigger crier than me (update: she cried reading this).

Here is to my mom for sharing dog videos on my facebook profile thinking that no one else will see except me. For teaching us the days of the week in italian from a calendar we bought in Rome (also almost 15 years ago, and we haven’t forgotten since!). For (trying to) teach me French for the past 100 years.

Here is to my mom for joining me in the kitchen table as a kid and painting with me. For always spoiling me with cuddles (looking at old pictures I just realized we are hugging in 90% of them).  For being the most generous and caring person I know.

Here is to my mom for always giving us the best Christmas spirit. For turning our house into a home. And for always giving us everything we ever needed. 

Enjoy the brunch we prepared for you. And happy Mother’s day! We love you <3.

 

Follow Catarina Morais on InstagramFacebookBloglovin’ and YouTube!

Art is the highest form of Hope

Art is the highest form of hope

 

Art is the highest form of hope

 

Art is the highest form of hope

 

A minha irmã tem rido de mim todo o dia. “No mesmo dia foste pintora, estilista, escritora, música e atriz”, diz ela. Bem… é verdade. Como já disse inúmeras vezes, a melhor coisa desta quarentena tem sido ter finalmente tempo para fazer todas as coisas que realmente gosto de fazer, com mais frequência… E EU GOSTO DE DEMASIADAS COISAS! Precisava de viver mil vidas para poder fazer verdadeiramente tudo o que gosto.

 

My sister has been laughing at me all day. “On the same day you have been a painter, stylist, writer, musician and an actress”, she said. Well… that is true. As I have said so many times, the best thing about this quarantine has been to finally have the time to do all the things I really like to do, more often… AND I LIKE TOO MANY THINGS! I would need to live a thousand lives in order to be able to fully do all the things I want to.

 

Art is the highest form of hope

Art is the highest form of hope

Portanto, aqui estou eu, com os meus fones, entre o meu cavelete e tintas acrílicas, o caderno de desenho e os lápis de cor – my happy place. Vou sempre ser uma apaixonada pelas artes. Todo o tipo de artes. Música, cinema, literatura, pintura, arquitetura, fotografia, moda… o que quiserem. Há alguma coisa de tão puro nisso que faz a minha alma feliz. E acredito que é em alturas difíceis como esta que nos apercebemos do que é verdadeiramente importante para nós. Estes dias apercebi-me que enquanto tiver os meus livros, lápis, tubos de tinta, câmara, fones, … está tudo bem. O mundo está tão cheio de coisas bonitas e interessantes, não há tempo para estar aborrecida num mundo assim.

 

So, here I am, with my headphones on, among my easel and acrylic paints, sketchbooks and color pencils – my happy place. I will be an eternal lover of the arts. All kinds of arts. Music, cinema, literature, painting, architecture, photography, fashion… you name it. There is just something so pure about it that makes my soul happy. And I believe that it’s in hard time like these where we realize what really is important to us. These days I’ve realized that, as long as I have my books, pencils, paint tubes, camera, headphones, … I will be okay. The world is so full of beautiful and interesting things, there’s no time to be bored in a world like this.

 

Art is the highest form of hope

 

Art is the highest form of hope

 

Qual é o vosso happy place?

 

What’s your happy place?

So.

Follow Catarina Morais on InstagramFacebookBloglovin and YouTube! So.