Catarina Morais

I Miss You

 

Tenho saudades tuas, todos os dias.

Há 3 meses e meio tive de me despedir do meu avô pela última vez. Foram 93 anos, uma vida cheia de altos e baixos. Com esta idade todos estávamos preparados para isto, especialmente quando foi para o hospital no último dia de Agosto. Os médicos diziam que muito provavelmente ele já não sairia de lá mas eu não queria acreditar. Não há nada na vida de que eu tivesse mais medo do que isto. Perder alguém que eu amo, não queria nem imaginar como seria. Tive a sorte de só conhecer esta dor com 21 anos mas ainda assim doeu. Doeu como nunca nada tinha doído. E eu chorei como nunca tinha chorado. Desde então que não passa uma noite em que não me lembre dele ao deitar. Da última imagem que tenho dele, deitado na cama a olhar para mim e a tentar dizer-me alguma coisa que nunca cheguei a saber o que era. A única coisa que me tranquiliza é saber que a última coisa que lhe disse foi “Amo-te muito avô”, e que esteja ele onde estiver, saberá que há muita gente que o ama e sente a falta dele, todos os dias.

 

2018 não foi um ano nada fácil. Pela primeira vez perdi alguém que amava. Talvez porque nunca falo sobre aquilo que sinto, retenho tudo o que penso e de vez em quando sinto esta necessidade de desabafar. Queria começar um novo ano um pouco mais leve, desprovida de alguns pensamentos negativos que me atormentaram este ano. Os pensamentos maus ficam por aqui, mas o sentimento mantém-se: Amo-te muito, avô.

Leave a Comment

Close